A idade média feminina no primeiro parto aumentou de forma constante nas últimas décadas. Este adiamento leva casais a tentarem ter filhos durante um período em que a fertilidade feminina já está em declínio.

As mulheres já nascem com todo o seu suprimento de óvulos para serem utilizados ao longo da vida. O Hormônio Anti-Mülleriano (AMH) é um hormônio produzido pelas células ovarianas que irão se desenvolver até o estágio de óvulos e é um teste diagnóstico muito utilizado para predizer a reserva ovariana de uma mulher, foi nomeado em homenagem a Johannes Peter Müller.

Entre suas vantagens está o fato de não variar ao longo do ciclo menstrual, como o FSH e LH, e poder ser realizado mesmo em uso de anticoncepcionais. Quanto mais alto o seu valor, maior a reserva ovariana da mulher, ou seja, maior o número de óvulos restantes.

A sua dosagem é realizada por uma amostra de sangue. Consideramos normais valores entre 1,0 e 3,0 ng/mL. Valores abaixo de 1,0 ng/mL indicam uma baixa reserva ovariana.